quinta-feira, 30 de julho de 2015

MPLA promove contra-manifestação em Luanda em defesa da prisão de ativistas anti-governamentais

Cerca de 30 membros da Juventude do MPLA (JMPLA), partido no poder em Angola, e da Organização da Mulher Angolana (OMA) realizaram nesta quarta-feira (29) uma contra-manifestação de apoio ao governo do presidente José Eduardo dos Santos, na Praça 1o. de Maio, em Luanda.

Luanda - Cerca de 30 membros da Juventude do MPLA (JMPLA), partido no poder em Angola, e da Organização da Mulher Angolana (OMA) realizaram nesta quarta-feira (29) uma contra-manifestação de apoio ao governo do presidente José Eduardo dos Santos, na Praça 1o. de Maio, em Luanda.

Esta iniciativa, foi iniciada horas antes da manifestação de ativistas prevista para as 15 horas (hora local) e na qual vão pedir a libertação dos 15 jovens do auto-denominado Movimento Revolucionário detidos a 20 de Junho e acusados de prepararem um golpe de Estado pela via da desobediência civil, informa a rádio VoA ( Voz da América).

Entretanto, a polícia deteve por volta das 9 horas de hoje o jornalista Gonçalves Vieira, da Rádio Despertar, estação de rádio ligada ao partido Unita, por, alegadamente, estar a fazer uma cobertura ilegal. Foi libertado duas horas mais tarde.

 O MPLA, partido miaoritário no parlamento angolano, recusou, entretanto, o pedido apresentado pela Unita, apoiado pelo CASA-CE, principais partidos da oposição, para a realização de um debate urgente sobre a prisão dos 15 jovens do auto-denominado Movimento Revolucionário pela Polícia Nacional, em junho. A liderança parlamentar do MPLA alegou o segredo de justiça para recusar o debate.

"Onde é que está o segredo de justiça quando o Procurador-Geral da República mostra aos deputados vídeos e supostas evidências?", questionou Raul Danda, porta-voz da Unita.

Os jovens são acusados pela Procuradoria da República de tentativa de golpe de Estado e consequente  destituição do presidente José Eduardo dos Santos. África 21

Sem comentários:

Enviar um comentário