quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Dhlakama considera "fantochada" indicação de Simango para conselheiro de Estado

Líder da Renamo diz que que Simango nunca foi político.

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, classificou nesta terça-feira, 18, de “fantochada” a indicação de Daviz Simango, presidente do MDM, terceira força politica no país, a conselheiro de Estado, sustentando que a oferta desvaloriza o seu mérito político.

Simango foi nomeado membro do Conselho de Estado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, no momento em que existe um impasse no Parlamento, já que a Renamo quer os dois lugares que cabem à oposição.
“É uma fantochada (a indicação de Daviz Simango para conselheiro de Estado). Se Daviz Simango não é membro clandestino da Frelimo não podia aceitar”, precisou Afonso Dhlakama,, alertando que a sede de Daviz Simango por cargos de chefia pode-lhe “cair mal”.
Dhlakama, mentor político de Daviz Simango, disse que a derrota no embate eleitoral com Filipe Nyusi e a reivindicação de fraude após os resultados eleitorais banalizam a sua indicação para o cargo, além de desvalorizar o mérito político.
“Levar Daviz Simango, que tem um manifesto contra o Nyusi e que reclamou que Nyusi roubou votos dele, a reivindicar publicamente tudo, e depois ser nomeado, isso não”, insistiu Afonso Dhlakama, sustentando que a prorrogativa do Presidente na indicação das quatro personalidades, não inclui o terceiro candidato mais votado nas eleições.
Acrescentou, contudo, não tratar de “ciúmes”, porque que “Daviz Simango nunca foi até político".
"Eu é que ensinei Daviz Simango a ser político e a entender a democracia”, afiançando que a sua entrada para o órgão teria mérito se fosse via Parlamento.
Afonso Dhlakama, que por força da lei é membro do Conselho de Estado por ser o segundo candidato mais votado desde as primeiras eleições multipartidárias em 1994, nunca chegou a ocupar o lugar no órgão por considerar ser contra seus princípios ideológicos. Voz da América

Sem comentários:

Enviar um comentário