quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Consumo de drogas por professores e alunos é preocupante em Nampula

Estudo revela números exorbitantes.

O consumo de drogas por professores e alunos nas escolas, sobretudo do nível secundário, em Nampula, está a fragilizar o processo pedagógico.

A constatação é de um estudo sobre saúde escolar, álcool e drogas nas escolas género e desporto, realizado recentemente em Nampula.
A investigação concluiu que mais de seis mil alunos e professores consumiram bebidas alcoólicas, tabaco, soruma e cocaína nos estabelecimentos de ensino no último ano.
O porta-voz do Ministério da Educação em Nampula, Alfredo Nicurrupo, revelou que, face a estes dados, foram instaurados processos disciplinares e criminais, que já se encontram em tramitação nas entidades competentes.
O distrito de Meconta é o mais critico, com 5,193 casos, seguido de Nacala Porto, com 503, e Ribaué, com 33 casos.
 Alfredo Nicurrupo garante que quem for encontrado a consumir drogas será expulso das escolas.
O porta-voz do Ministério da Educação revela que o consumo de drogas nas escolas compromete a qualidade do ensino e o desempenho dos alunos e professores. Entre as consequências mais graves estão agressões e o assédio sexual.
Para fazer frente a este cenário, o Ministério da Educação desenvolve uma campanha a alertar para o impacto negativo do consumo de drogas e álcool.
Para o secretário da delegação da Organização Nacional dos Professores em Nampula, André Janna, esta situação envergonha a classe e, por isso, vai desenvolver acções para alertar para consumo de drogas entre os seus membros.
Para pais e encarregados de educação é lamentável que o ensino esteja a ser manchado por atitudes desta natureza.
Eles defendem um maior controlo dos profissionais e alunos dentro dos estabelecimentos de ensino.
Pais e encarregados de educação denunciam ainda o facto de haver locais de venda de álcool junto das escolas e pedem a intervenção das autoridades. Voz da América

Sem comentários:

Enviar um comentário