sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

RENAMO exige demissão do ministro do Interior de Moçambique

A RENAMO atribui à FRELIMO a responsabilidade pelos assassinatos e perseguição dos seus membros e exige demissão do ministro do Interior. FRELIMO considera acusações "infundadas" e "precipitadas". 

Ivone Soares, líder parlamentar da RENAMO, deu uma conferência de imprensa na cidade de Quelimane e atribui à FRELIMO a autoria de todos os incidentes, acusando o partido no poder de tentativas repetidas de assassínio dos dirigentes da maior força de oposição. Na manhã desta quinta-feira (21.01), um dia depois do secretário-geral da RENAMO, Manuel Bissopo ter sido baleado por desconhecidos, Ivone Soares disse que o pais está numa situação crítica devido à onda de assassinato dos membros da RENAMO, e civís que se opõem à FRELIMO. "O governo deve parar incondicionalemnte com esses atentados contra a vida de políticos, acedémicos, jornalistas e empresários", afirmou.
O secretário-geral da RENAMO e deputado, Manuel Bissopo, foi atingido na cidade da Beira na quarta-feira (20.01) a tiro quando acabava de realizar uma conferência de imprensa, onde denunciou alegados raptos e assassínios de membros do seu partido. Ficou com ferimentos graves e o seu segurança acabou por morrer no local.

Segundo Ivone Soares, depois da eleição do Presidente da República de Moçambique, Filipe Nyusi, os crimes caraterizados por raptos, assassinatos e perseguição do líder da RENAMO e seus membros continuaram em alta. Desta forma, enfatizou que se "deve parar imediatamente com os desmandos que o Ministério do Interior está a praticar neste país. Se esse Ministro do Interior julga que é o rambo da situação, portanto que o presidente dele mande cessar funções imediatamente. Porque em pouco tempo já fez com que neste país entrássemos de novo numa situação de incerteza em relação ao futuro. Não queremos um ministro sanguessuga que vive à custa do sangue de inocentes". Ler +

Sem comentários:

Enviar um comentário