sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Poeta moçambicano Eduardo White dá nome a prémio literário

A partir deste ano, escritores emergentes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa poderão concorrer a mais um prémio. Trata-se do Prémio Literário Eduardo Costley-White.
A iniciativa é da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e Edições Esgotadas, que celebram os 800 anos da língua portuguesa, homenageando um dos expoentes máximos da poesia moçambicana.
“Difundir a língua portuguesa e exaltar os autores que escrevem em Português foi um dos grandes objetivos que pautaram o lançamento do Prémio Literário Eduardo Costley-White,” disse o Presidente da FLAD, Vasco Rato.
Rato explicou que “o papel da FLAD não se limita a aprofundar a relação entre Portugal e EUA: O reforço das relações de Portugal com África, através das comunidades portuguesas e africanas, constitui um importante pilar da nossa actuação.”
Exclusivamente dirigido a talentos oriundos de Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné e São Tomé e Príncipe, as candidaturas acabam de arrancar e poderão ser submetidas no site da FLAD até ao dia 15 de Abril de 2016.
O Prémio Literário Eduardo Costley-White garante a primeira edição da obra vencedora.
Natural de Quelimane, na província da Zambézia, Eduardo White morreu em Maputo, a capital do país, em 2014.
White Publicou, entre outros, os livros Amar sobre o Índico, Homoíne, País de Mim, O Poeta Diarista e os Ascetas Desiluminados e Libreto da Miséria. Ganhou o Prémio Glória de Sant’Anna (2013), e o Prémio José Craveirinha (2004). Voz da América

Sem comentários:

Enviar um comentário