quarta-feira, 4 de maio de 2016

Membro da Frelimo acusa Governo moçambicano de desrespeitar Constituição

O influente membro do Comité Central (CC) da Frelimo, partido no poder em Moçambique, Teodato Hunguana, acusou o Governo moçambicano de violar a Constituição da República, ao não pedir autorização para a contração das chamadas dívidas escondidas.

Maputo - O influente membro do Comité Central (CC) da Frelimo, partido no poder em Moçambique, Teodato Hunguana, acusou o Governo moçambicano de violar a Constituição da República, ao não pedir autorização para a contração das chamadas dívidas escondidas.
"Quando se passa a admitir publicamente que decisões tão vitais para todos sejam tomadas à margem, ou com violação da Constituição, a implicação imediata é que temos duas constituições: a que foi adotada pela Assembleia da República e outra que não conhecemos, que não é pública", afirmou Hunguana.
Numa comunicação que proferiu na cidade de Nampula, norte de Moçambique, por ocasião do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, assinalado na terça-feira, e que foi divulgada nesta quarta-feira (04) na íntegra pelo O País, principal diário privado em Moçambique, Teodato Hunguana disse que o caso das chamadas dívidas escondidas criou na sociedade moçambicana a ideia de que há, no país, quem esteja isento de respeitar e cumprir a Constituição da República. África 21

Sem comentários:

Enviar um comentário