segunda-feira, 6 de junho de 2016

O cúmulo do descaramento

Maputo (Canalmoz) - A vigarice é uma conquista do exercício da falta de carácter. Quando acompanhada pela desfaçatez reiterada, a vigarice torna-se uma carreira.
No final da sua visita à província de Tete, Filipe Nyusi disse à população que o país está mergulhado na actual crise económico-financeira (escondeu as outras crises) porque “aqueles amigos que financiavam e ajudavam com dinheiro já não estão a dar. Não estão a dar porque têm problemas nos seus países. A economia está má em todo o lado”. Isto saiu da boca de Filipe Nyusi.
Este discurso não tem por onde se lhe pegue de tanta vigarice, mentira e descaramento que congrega numa só tirada. Mas, tal como tivemos o cuidado de anotar no intróito desta reflexão, a vigarice pode ser uma carreira, requerendo somente que o seu cultor anexe doses mínimas de desfaçatez reiterada.
Para com o país e para com os cidadãos espoliados e enganados e agora embrutecidos, temos o dever patriótico de repor a verdade. E ei-la a seguir:
1. O grupo de países que apoiam o Orçamento do Estado, os chamados Parceiros de Apoio Programático, a quem Nyusi chama “amigos”, deixou sim de dar dinheiro ao Governo, mas não devido a “problemas nos seus países”, tal como Nyusi tenta enganar descaradamente a população.
2. Os doadores suspenderam a ajuda financeira ao Orçamento de Estado – tal como o “Canal de Moçambique” provou na semana passada com documentos autênticos – devido à corrupção endémica, que alimentou todas estas dívidas escondidas que a Frelimo quer hoje que os moçambicanos assumam como dívida pública.
3. Os doadores suspenderam a ajuda porque Armando Guebuza, Mussumbuluko Guebuza, Manuel Chang, Filipe Nyusi, Alberto Mondlane, Gregório Leão e os seus próximos foram à Rússia, à Suíça e à China pedir emprestado dinheiro para os seus projectos empresariais pessoais (de viabilidade duvidosa) e criminosamente inscreveram o Estado moçambicano como o responsável e devedor. Mas o dinheiro foi para os seus bolsos, como provámos aqui neste jornal.
4. Os doadores suspenderam a ajuda financeira porque, depois de o grupo de pessoas acima mencionado ter ido pedir emprestado o tal dinheiro, e porque o empréstimo era mesmo criminoso, esconderam essas dívidas ao povo e a quem haviam inscrito como pagador e também às instituições financeiras internacionais.
5. Os doadores suspenderam a ajuda financeira porque todo o dinheiro que o grupo acima mencionado foi buscar serviu para alimentar as suas ambições pessoais, incluindo para comprar material bélico, com o qual estão a alimentar a actual guerra contra Afonso Dhlakama e a Renamo. Provámos aqui, com documentos e fotos, que o filho de Guebuza tem o seu próprio armamento. Nada nos garante que Nyusi não tenha também o seu.
6. Os doadores suspenderam a ajuda financeira porque, depois de descobertas partes das dívidas, Filipe Nyusi mandou Maleiane para ir mentir, quer em Washington, quer à Assembleia da República, alegando que as empresas criadas são viáveis e que a dieta dos moçambicanos até melhorou devido ao atum que é servido abundantemente nos restaurantes nacionais.
7. Em suma, os “amigos” a que Nyusi se refere cortaram a ajuda financeira porque o Estado moçambicano é dirigido por autênticos vigaristas e pelos seus familiares. A própria directora do Fundo Monetário Internacional fez questão de sublinhar, na semana passada, que a ajuda ficou suspensa porque o Estado moçambicano queria encobrir corruptos e as suas sucursais.
Portanto, mantendo intacto o espírito da vigarice, Nyusi enganou de forma colossal a população. Não disse à população que, devido aos actos de corrupção praticados por ele e pelos seus amigos, quando ele era ministro da Defesa, os doadores suspenderam a ajuda internacional.
Ir dizer à população que a razão da suspensão da ajuda financeira deve-se a alegados problemas que existem nos países dos doadores é duplamente criminoso. Primeiro, porque está a enganar a população, segundo, porque está falsamente a atribuir problemas a países que não os têm.
Filipe Nyusi está a mentir, quando diz que os doadores têm problemas. É falso. O problema é Filipe Nyusi, Armando Guebuza, Manuel Chang e outros. Esses, sim, tornaram-se um grave problema de vigarice para os doadores.
O descaramento de Filipe Nyusi mostra até onde chegámos. Quando pensávamos que o bom senso viria ao de cima para animar aos doadores, eis que os bandidos nem sequer mostram arrependimento. Continuam a mentir e a enganar. O culto da vigarice ao mais alto nível é que lixou este país. Fica claro porque temos um G40. Distorcer, escamotear, falsificar, burlar, enganar desinformar é uma marca registada deste sistema.
Neste discurso, Filipe Nyusi revelou-se um exímio G40. Um aldrabão por excelência! É preciso ter muito descaramento! Canalmoz

(CanalMoz/Canal de Moçambique)

Sem comentários:

Enviar um comentário