quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Funcionários públicos moçambicanos desviam mais de 1 milhão de dólares

O Estado moçambicano foi desfalcado em mais de um milhão e duzentos mil dólares só nos primeiros seis meses do ano, por acções de corrupção protagonizadas por funcionários públicos.
A Procuradoria acusa os bancos comerciais de não colaborarem com o Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC), para a detecção de transações suspeitas.
Só de Janeiro a Junho do corrente ano, o GCCC registou 474 processos , em conexão com os quais foram detidos 90 cidadãos.
Desse número, 61 foram detidos em plena prática de actos corruptos; 52 destes casos estão relacionados com desvio de fundos do Estado, revelou Eduardo Sumana, porta-voz do GCCC.
O desvio de cerca de 1.2 milhões de dólares americanos foi protagonizado maioritariamente por operadores do e-SISTAFE, sistema electrónico através do qual o Estado procede ao pagamento dos seus fornecedores.
O GCCC deu indicação de que o esquema inclui a criação de empresas fictícias.
A Procuradoria Geral da República lamenta o facto de os bancos comerciais não colaborarem na operacionalização da Lei de Prevenção e Combate ao Branqueamento de Capitais.
Esta entidade alega que os bancos comerciais omitem ou reportam tardiamente ao GCCC os casos de transações suspeitas que dão entrada nos seus balcões. Voz da América

Sem comentários:

Enviar um comentário