sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Aumentam os sinais de que José Eduardo dos Santos não se recandidata em 2017

O líder angolano, de há já 37 anos, terá dito na última reunião do partido que não ser vai recandidatar e há quem espera que o anúncio oficial seja feito no início de dezembro. Mas já não é a primeira vez que faz estas afirmações e depois volta atrás

Há cada vez mais probabilidades de o presidente de Angola, José Eduardo dos Santos (JES) - que está no poder há 37 anos - não se vai recandidatar nas eleições de 2017.
Segundo apurou o Expresso, na última reunião do partido a 10 de novembro, dos Santos terá reafirmado a intenção de não se recandidatar e, apesar de já não ser a primeira vez que o diz e depois volta atrás, nos círculos políticos há cada vez mais certezas que agora é para valer.
Um artigo publicado pelo África Monitor Intelligence a 14 de novembro, escreve que "informações acerca de discretas diligências relacionadas com a sua sucessão, efectuadas pelo próprio e por próximos" e com base nesses "novos dados sobre a sucessão, meios ligados aos principais escalões da direção do MPLA esperam que JES anuncie, abertamente, a intenção de já não se recandidatar numa reunião do seu partido, que mandou convocar para depois do seu regresso de Barcelona, previsto para o princípio de dezembro".
Além disso, pesam na decisão de se retirar a idade avançada do líder do MPLA, hoje com 75 anos, mas também o cansaço e a deteriorição da sua imagem, tanto no país como a nivel internacional.
Por exemplo, a revista Forbes já o considerou o segundo pior presidente da História e, ainda esta noite, numa reportagem transmitida pela SIC, foi mostrado como Angola é um país de grandes desigualdades e que nos últimos anos até se terão agravado não só por causa da descida dos preços do petróleo, que emagreceram os cofres do Estado, mas também pela escassez de alimentos, que fez encarecer os preços.
Ainda assim, sem um anúncio formal é cedo para afirmar taxativamente que José Eduardo dos Santos não vai mesmo recandidatar-se. Ainda este ano, em março, o presidente angolano disse que se ia retirar em 2018, mas no final de junho anunciou que se ia recandidatar a líder do partido.
É, por isso, que segundo avança o África Monitor Intelligence na mesma notícia, "conjectura-se que JES faça tenção de se manter como Presidente do MPLA até um congresso do partido, em 2018" e que "completaria, assim, um processo de retirada a iniciar com a sua não apresentação como candidato às eleições presidenciais".
Como sucessor, é referido o nome de João Loureço, figura próxima de José Eduardo dos Santos e que foi apontado como candidadato a vice-presidente para as próximas eleições. Ou seja, se dos Santos não se candidatar será João Lourenço a assumir a candidatura a presidente. Expresso

Sem comentários:

Enviar um comentário