terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Perto de três mil pessoas foram vítimas de violência doméstica em 2016

Número significa uma subida de 582 ocorrências comparativamente a 2015 

No ano passado, a Polícia da República de Moçambique (PRM) na cidade de Maputo registou pouco mais de 2 900 casos de violência doméstica, o que significa uma subida de 582 ocorrências comparativamente a 2015.
“Tivemos um total de 2952 casos de violência doméstica em 2016 e comparando com 2015 houve um grande aumento. E isso é preocupante. A violência é tanta que corremos o risco dela tornar-se num problema de Saúde Pública. E esse crime afecta as famílias, as instituições e ao Estado”, disse o comandante da PRM na Cidade de Maputo, Bernardino Rafael.
Na semana passada por exemplo, uma mulher cuja identidade não foi revelada veio da África do Sul com uma faca para assassinar a sua vizinha, uma vez que desconfia que a mesma, esteja a ter um relacionamento com o seu marido.
O comandante da Polícia, que falava hoje a jornalistas, no final de uma reunião com os membros da corporação, fez saber que para responder a situações de violência está a ser feito um trabalho para apurar as causas da violência, e pede a intervenção de toda sociedade para a seu combate.
“Nós privilegiamos a passagem de mensagens contra a violência doméstica nos nossos contactos com as comunidades, mas precisamos que todos colaborem, uma vez que este é um crime que quando ocorre afecta as famílias, as instituições e o próprio Estado”, disse Rafael.
A Polícia na cidade de Maputo está igualmente preocupada com a imigração ilegal, numa altura em média, semanalmente 30 imigrantes ilegais são repatriados a partir do Aeroporto Internacional de Mavalane. As estatísticas da PRM apontam que 19 por cento dos crimes, tais como falsificação de moeda e circulação de droga, no ano passado na cidade de Maputo foram cometidos por estrangeiros, facto que faz com se preste mais atenção a esse grupo.

Jovem mata irmão com uma faca 

O caso mais recente de violência doméstica deu-se na última sexta-feira no bairro de Malhangalene, quando em circunstâncias ainda por apurar um irmão tirou a vida de outro com recurso a uma faca. “Parece incrível, mas é mesmo isso. Um jovem tirou a vida do próprio irmão, cortando-lhe o pescoço com uma faca. E este crime para além de ser um homicídio, também é claramente de violência doméstica que infelizmente terminou com o pior, a morte”, contou o comandante da PRM na cidade de Maputo, Bernardino Rafael.
Depois do crime, o jovem colocou-se em fuga, mas já foi capturado. “Fizemos diligências e conseguimos neutralizar o jovem, neste momento ele está detido na esquadra e a investigação das razões por de trás deste crime estão em curso e seguir-se-á o processo-crime normal”, disse Rafael. O País

Sem comentários:

Enviar um comentário