sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Estupradores fazem mais de 110 vítimas em quase duas semanas em Moçambique

Um total de 115 crianças e mulheres adultas foram abusadas sexualmente entre 20 de Dezembro passado a 01 de Janeiro corrente. Metade das vítimas é de zero a 14 anos de idade. Porém, comparativamente ao anterior período das festividades, o número diminuiu em 30 casos, ao passar de 145, entre 2016/2017, para 115, de 2017 para 2018. Mesmo assim, as autoridades mostram-se preocupadas com situação, sobretudo por envolver vítimas recém-nascidas.
A crueldade dos supostos estupradores foi de tal sorte que até as idosas não escaparam dos seus actos descritos como abomináveis.
Ussene Isse, director nacional de assistência médica no Ministério da Saúde (MISAU), disse à imprensa, na quarta-feira (03), que o problema só pode ser estancado com um trabalho árduo nas comunidades, envolvendo os pais e encarregados de educação.
Segundo o dirigente, as faixas etárias mais acometidas pelo abuso sexual, no período em alusão, dos 115 casos registados, pelo menos 58, o que corresponde a 50%, envolveram crianças com idades que variam de zero a 14 anos.
Os dados daquela instituição do Estado indicam ainda que, de forma desagregada, foram estupradas 16 (14%) meninas de zero a quatro anos de idade, 14 (12%) de cinco a nove anos e 28 (24%) de 10 a 14 anos.
Os predadores sexuais fizeram também 22 (19%) vítimas com idades que variam de 15 a 19 anos e 10 (9%) adultos de 20 a 24 anos.
De 25 a 59 anos, o MISAU registou 24 (21%) vítimas de violação sexual e uma (1%) anciã com uma idade acima de 60 anos.
O grosso da vítimas de abuso sexual foi atendido nos hospitais Geral de Mavalane, Central de Maputo, Geral José Macamo e Provincial da Matola, com 28, 22, 18 e 10 casos, respectivamente.
As mesmas unidades sanitárias registaram, entre 2016/2017, um total de 15, 20, 12 e cinco pacientes cada.
Os hospitais provinciais de Pemba e Inhambane atenderam três e dois vítimas de abuso sexual, respectivamente, enquanto outras duas pacientes foram socorrida para o Hospital da Polana Caniço.
No Hospital Distrital de Montepuez deu entrada uma vítima de estupro e igual número nas unidades sanitárias de Quissico e Chamanculo.
Pese embora o problema de violação sexual tenha reduzido em 30 casos (145 para 115), pode-se dizer que os pais e encarregados de educação não acataram de todo em todo o apelo do MISAU, nas vésperas das festividades, no sentido de terem maior cuidado e resguardo das crianças contra eventuais predadores sexuais. @Verdade

Sem comentários:

Enviar um comentário