quinta-feira, 21 de junho de 2018

Moçambique. Quatro pessoas assassinadas e mais de 30 casas queimadas em Macomia

Representações diplomáticas de vários países tem vindo a alertar os seus cidadãos a evitarem viajar para parte da província de Cabo Delgado

A legados terroristas assassinaram à catana, na noite desta terça-feira, quatro pessoas, na aldeia de Lipandakua, no distrito de Macomia, na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique. Os supostos terroristas, que já vitimaram mortalmente cerca de quatro dezenas de pessoas desde que iniciaram os ataques em Outubro passado, ter-se-iam introduzido na aldeia durante a noite, surpreendendo os habitantes locais.
Além de perpetrarem os assassinatos, os indivíduos, em número não quantificado, incendiaram ainda mais de 30 casas. A aldeia de Lipandakua localiza-se nas proximidades do rio Messalo, onde as forças armadas surpreenderam e executaram, há duas semanas, oito presumíveis atacantes.
Há cerca de duas semanas, os indivíduos que aterrorizam a zona norte da província de Cabo Delgado, assassinaram, em dias e lugares diferentes, 12 pessoas, queimaram pouco mais de 230 casas e seis viaturas. Na mesma altura feriram perto de uma dezena de pessoas.
As representações diplomáticas de vários países tem vindo a alertar os seus cidadãos a evitarem viajar para parte da província de Cabo Delgado. Muito recentemente (8 de junho), a embaixada dos Estados Unidos em Maputo, emitiu uma nota em que aconselhava os seus cidadãos, no distrito de Palma, a “considerar o abandono da zona imediatamente”. Para aqueles que optassem em permanecer no distrito de Palma, acrescenta a nota, “são aconselhados a evitar viajar para a sede do distrito” e visitar determinados lugares como mercado e instituições governamentais locais, alvos de terroristas.
De acordo com a embaixada americana, o nível de risco na zona norte de Cabo Delgado é elevado (nível 3). Expresso

Sem comentários:

Enviar um comentário